6 maneiras com que seu tipo de personalidade afeta o sono

Você é uma pessoa madrugadora? Perfeccionista? Extrovertida? O seu "tipo de personalidade" pode explicar muito sobre como você interage com o mundo quando você está acordado, mas também pode dar um insight dos seus hábitos de sono.
 
Embora as características de personalidade dificilmente são um fator significativo ou decisivo quando se trata do nosso padrão de sono, a forma como nos comportamos ainda pode nos afetar sutilmente enquanto dormimos.
 
Abaixo estão algumas formas de como nossa personalidade, horários de sono e descanso podem estar relacionados.
 
1. A genética determina se você é uma “coruja” ou um madrugador.
 
Você pode não ter o controle de preferir acordar com o sol ou com as estrelas. A diferença entre os que ficam acordados até tarde e os madrugadores – também conhecidos por cronotipo - pode estar no nosso próprio relógio interno.
 
Os cronotipos são em grande parte determinados pela genética, reportou a BBC.
 
"Os cronotipos refletem as diferenças individuais no tempo do ritmo circadiano e podem sofrer alterações com a idade," disse Natalie Dautovich, estudiosa ambiental da Fundação Nacional do Sono, ao The Huffington Post, por email.
 
"Por exemplo, os adolescentes são mais propensos a serem mais noturnos se comparados aos adultos."
 
2. Os madrugadores podem ser mais felizes.
Deus ajuda quem cedo madruga e no fim isso parece também ajudar na saúde. Os que gostam de acordar cedo relatam ser mais felizes e tendem a ser mais persistentes do que as corujas.
 
Pesquisas também sugerem que os madrugadores podem estar mais descansados, uma vez que são menos propensos a experimentar o "jet lag social", que é o que acontece quando o nosso relógio biológico está fora de sincronia com o nosso relógio social, das 9-às-5.
 
3. Os "Tipos A" podem ter problemas para pegar no sono.
Se você é uma daquelas pessoas que "pensam demais", como os Tipos A, você pode ter um pouco de dificuldade em deixar de lado os fatores estressantes - especialmente quando você vai para a cama. "A excitação cognitiva pode assumir muitas formas, desde uma simples revisão das atividades do dia, até ruminar ou se preocupar demais com coisas diferentes", disse Dautovich.
 
Para algumas pessoas, a incapacidade de desligar o cérebro pode impedir de cair no sono, diz o Dr. Shalini Paruthi, presidente da comissão de educação da Academia Americana de Medicina do Sono e diretor do Centro de Pesquisas Pediátricas do Sono da Universidade de Saint Louis.
 
"O que isso realmente significa é que a mente não está se alinhando mentalmente com o corpo para pegar no sono", disse Paruthi ao The Huffington Post.
 
Se pensamentos ansiosos deixam você acordado, existem terapias para ajudar a tratar o problema - a forma mais comum é a terapia cognitivo-comportamental para insônia, disse.
 
4. Acredita-se que os noturnos arriscam-se mais.
As pessoas noturnas podem buscar mais sensações ou novidades, de acordo com um estudo de 2014, publicado na Revista Personality and Individual Differences.
 
Existem rumores de que eles são mais criativos e têm habilidades cognitivas superiores, embora Paruthi explique que a pesquisa ainda tem que confirmar isso.
 
As corujinhas têm má fama por gastarem energia à noite, mas a sua hora de dormir não precisa ser criticada, contanto que eles observem as recomendadas sete horas de sono sem interrupção a cada noite, disse Paruthi.
 
5. Os extrovertidos podem acabar dormindo melhor.
 
Em um estudo preliminar de 2014, publicado na Revista Health Psychology, os pesquisadores descobriram uma relação entre indivíduos extrovertidos e um melhor sono.
 
A mesma associação foi encontrada em indivíduos com alta capacidade de consciência e afabilidade. Isto, obviamente, não é o único indicador de uma boa noite de descanso, já que outros fatores ambientais desempenham um papel muito maior, mas estudar a relação entre a personalidade e o sono "pode beneficiar um tratamento mais personalizado aos distúrbios do sono e ajudar na seleção de pessoal para trabalhos em que é fundamental ficar alerta", indicaram os pesquisadores.
 
6. Indivíduos neuróticos podem ser mais susceptíveis à insônia.
 
Aqueles que exibem traços de neuroticismo podem ter um aumento na reatividade ao estresse, o que poderia levar a distúrbios do sono e insônia, de acordo com 2.013 resultados publicados na Revista Sleep Medicine Reviews.
 
No entanto, pesquisadores observam que o neuroticismo e o estresse são um pouco cíclicos, por isso é provável que a ansiedade que está associada a esse comportamento é o que poderia estar levando à falta de sono.
 
"O estresse pode definitivamente ser um fator negativo para se ter um sono saudável", disse Dautovich." O estresse pode criar um ciclo vicioso que afeta o sono e a falta de sono afeta nossa capacidade de lidar com o estresse."
O que podemos fazer sobre isso?
 
Finalmente, os especialistas destacam que os tipos de personalidade têm pouca influência em comparação com outros fatores externos em seu ambiente de sono, por isso não se preocupe muito se você se identifica com um certo traço comportamental.
 
Independentemente do que faz você ficar acordado à noite, quer seja a sua mente muito ligada ou qualquer outra coisa, aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a adormecer mais rápido e ter um sono de mais qualidade:
 
-Saia da cama. Se você não fizer isso, seu cérebro pode começar a associar esse lugar de refúgio do sono com um lugar onde você deve ficar bem acordado. Se você não cair no sono em 20 a 30 minutos, levante-se e vá para um outro lugar.

-Verifique a temperatura. O melhor para o sono é um quarto escuro e fresco. A temperatura ideal para ter um sono de qualidade é em torno de 15 a 20 graus, disse Dautovich anteriormente ao HuffPost.

 
-Tente uma atividade. Apenas tenha certeza de que seja algo chato, aconselhou Paruthi. Pegue um livro monótono se você não consegue se desligar (desculpe, mas o Harry Potter não serve). Escrever no diário também pode ajudar.
 
-Proíba o uso de telas. Desligue os aparelhos eletrônicos pelo menos 30 minutos antes de ir dormir, mas de preferência uma hora antes disse Paruthi. Pesquisas mostram que o comprimento de onda azul emitidos a partir das telas, pode atrasar a produção de melatonina, o hormônio que nos ajuda a relaxar. "Usem um despertador [físico] para acordar de manhã", disse.
 
-Mantenha uma rotina de sono. Comece a se preparar para ir pra cama no mesmo horário e fazer disso um ritual calmante (meditação, alguém aí? )."As pessoas não conseguem fazer do sono uma prioridade", disse Paruthi." A rotina realmente ajuda a guiar o cérebro - e o sono é uma função cerebral - da hora de 'vai, vai, vai' para a hora de relaxar."