Estudo diz o que determina o tempo ideal de sono para manter a saúde

  • by admin - qua, 09/30/2015 - 14:55
  • Noticias
Um estudo inédito de uma neurocientista brasileira descobriu que é assim mesmo. A pesquisa, publicada nessa quarta-feira (24) em uma das mais importantes revistas de ciências do mundo, mostra que a explicação para o tempo de sono dos mamíferos está no tamanho do cérebro.
O estudo revela que quanto menor a superfície do cérebro maior a concentração de neurônios. Isso facilita a formação e a liberação de substâncias que induzem o sono, como a adenosina. Na medida em que o cérebro vai crescendo, os neurônios se espalham, diminuindo essa concentração e, portanto, mantendo o animal mais tempo acordado.
Isso explica por que os bebês chegam a dormir 18 horas por dia. Os morcegos, que também têm o cérebro pequeno, passam 16 horas adormecidos.
Com os animais maiores, como um elefante, a pesquisa confirma a mesma tendência. Como o cérebro deles é grande, os neurônios ficam espalhados por uma superfície extensa. Por isso eles demoram mais a sentir sono. Têm muito mais necessidade de comer do que de dormir. O elefante só dorme por duas ou três horas, a girafa, três horas, e o homem adulto precisa de 8 a 9 horas de sono.
O que a ciência explica é o seguinte: enquanto a gente está acordado, o cérebro vai produzindo e acumulando lixo. Para eliminar toda essa sujeira, toxinas, é preciso dormir. Mas o tempo tem que ser suficiente para fazer a limpeza completa. Se dormir menos que o necessário, uma parte desse lixo continua lá, e aí o corpo sente. Esse lixo e toxinas são substâncias produzidas pelo próprio funcionamento do cérebro.